Assine agora e receba conteúdos em primeira
mão na sua caixa de entrada.

O controle do fluxo de caixa de uma empresa é um procedimento que precisa ser realizado com todo o cuidado e eficiência, pois influencia diretamente em todo o restante do controle da empresa. Dentro de toda a gestão financeira ter um controle de cheques é essencial.

A definição para cheque pode ser dada como sendo uma ordem incondicional de pagamento à vista, dada por uma pessoa física ou jurídica, denominada de sacador, contra o banco onde tem fundos, denominado de sacado, para que pague ao credor, tomador ou beneficiário a importância nele escrita. O cheque está disciplinado pela Lei n. 7.357, de 02 setembro de 1985, denominada de Lei do Cheque.

O cheque é uma das formas de pagamento mais populares, destaca-se pela facilidade de negociação direta entre consumidor e lojista.

No cheque temos três partes envolvidas:

  • O emitente, passador ou sacador que é o titular de conta corrente junto a um banco (instituição financeira).
  • O sacado que é o banco (instituição financeira) que dispõe dos recursos do sacador e que está obrigado a cumprir a ordem do emitente, dentro dos limites de seus fundos.
  • O tomador ou beneficiário que é a pessoa em favor de quem o cheque deve ser pago ou creditado em sua conta.

Porque realizar controle de cheques?

Para ter informações completas do fluxo de caixa o controle dos cheques que circulam pela empresa é muito importante, uma vez que ainda é uma forma de pagamento muito utilizada para realizar compras parceladas ou com crédito.

Efetuar o controle do número de cada cheque, as informações de seu emitente e em qual banco ele foi compensado, são informações que devem ser consultadas rapidamente sempre que necessário. Assim, também será possível manter a rastreabilidade sobre estes dados.

Para o controle efetivo de cheques algumas informações são essenciais. Os dados mais importantes a serem gravados para recuperação futura são:

  • Data de Emissão:
  • Banco (com código), Agência e Conta do Cliente
  • alor do Cheque
  • Data do Vencimento (Bom para)
  • Data da Compensação
  • Controle do Status (Em Aberto, devolvido ou Compensado)
  • Número do Cheque
  • Nome do Emitente
  • CPF/CNPJ do Emitente
  • Telefone de Contato
  • Campo para observações

Controle cheques por status

O controle eficiente de cheque precisa seguir o ciclo de vida da ordem de pagamento. A ordem de pagamento de um cheque de maneira geral segue os seguintes status, Bom para (Data para compensação), compensado, devolvido, cancelado.

Para efetivo controle é preciso saber as datas de devolução dos cheques e as contas em que foram depositados esses documentos, ou seja, é preciso alterar em um sistema ou planilha a situação do cheque sempre que for alterado o status do documento real.

Conclusão

Pense no seguinte: Se tudo que você faz é dar uma olhada no extrato enviado pelo banco e pelo cartão de crédito para ver se está ‘tudo ok’, você provavelmente não terá condições de dizer se algum erro foi cometido. E estes erros geralmente representam perdas para você.

Saiba que os bancos ‘podem’ e ‘de fato’ cometem erros. Controlar sua conta pode parecer algo que seus avôs ou dinossauros faziam, comparado às modernidades atuais. Mas não é verdade. Muita gente financeiramente responsável, ainda controla o saldo de suas contas de modo que, caso haja qualquer pequeno erro por parte do banco, elas podem corrigi-lo rapidamente.

Referência

O controle do fluxo de caixa de uma empresa é um procedimento que precisa ser realizado com todo o cuidado e eficiência, pois influencia diretamente em todo o restante do controle da empresa. Dentro de toda a gestão financeira ter um controle de cheques é essencial.

A definição para cheque pode ser dada como sendo uma ordem incondicional de pagamento à vista, dada por uma pessoa física ou jurídica, denominada de sacador, contra o banco onde tem fundos, denominado de sacado, para que pague ao credor, tomador ou beneficiário a importância nele escrita. O cheque está disciplinado pela Lei n. 7.357, de 02 setembro de 1985, denominada de Lei do Cheque.

O cheque é uma das formas de pagamento mais populares, destaca-se pela facilidade de negociação direta entre consumidor e lojista.

No cheque temos três partes envolvidas:

  • O emitente, passador ou sacador que é o titular de conta corrente junto a um banco (instituição financeira).
  • O sacado que é o banco (instituição financeira) que dispõe dos recursos do sacador e que está obrigado a cumprir a ordem do emitente, dentro dos limites de seus fundos.
  • O tomador ou beneficiário que é a pessoa em favor de quem o cheque deve ser pago ou creditado em sua conta.

Porque realizar controle de cheques?

Para ter informações completas do fluxo de caixa o controle dos cheques que circulam pela empresa é muito importante, uma vez que ainda é uma forma de pagamento muito utilizada para realizar compras parceladas ou com crédito.

Efetuar o controle do número de cada cheque, as informações de seu emitente e em qual banco ele foi compensado, são informações que devem ser consultadas rapidamente sempre que necessário. Assim, também será possível manter a rastreabilidade sobre estes dados.

Para o controle efetivo de cheques algumas informações são essenciais. Os dados mais importantes a serem gravados para recuperação futura são:

  • Data de Emissão:
  • Banco (com código), Agência e Conta do Cliente
  • alor do Cheque
  • Data do Vencimento (Bom para)
  • Data da Compensação
  • Controle do Status (Em Aberto, devolvido ou Compensado)
  • Número do Cheque
  • Nome do Emitente
  • CPF/CNPJ do Emitente
  • Telefone de Contato
  • Campo para observações

Controle cheques por status

O controle eficiente de cheque precisa seguir o ciclo de vida da ordem de pagamento. A ordem de pagamento de um cheque de maneira geral segue os seguintes status, Bom para (Data para compensação), compensado, devolvido, cancelado.

Para efetivo controle é preciso saber as datas de devolução dos cheques e as contas em que foram depositados esses documentos, ou seja, é preciso alterar em um sistema ou planilha a situação do cheque sempre que for alterado o status do documento real.

Conclusão

Pense no seguinte: Se tudo que você faz é dar uma olhada no extrato enviado pelo banco e pelo cartão de crédito para ver se está ‘tudo ok’, você provavelmente não terá condições de dizer se algum erro foi cometido. E estes erros geralmente representam perdas para você.

Saiba que os bancos ‘podem’ e ‘de fato’ cometem erros. Controlar sua conta pode parecer algo que seus avôs ou dinossauros faziam, comparado às modernidades atuais. Mas não é verdade. Muita gente financeiramente responsável, ainda controla o saldo de suas contas de modo que, caso haja qualquer pequeno erro por parte do banco, elas podem corrigi-lo rapidamente.

Referência