Assine agora e receba conteúdos em primeira
mão na sua caixa de entrada.

Plano de contas é o agrupamento ordenado de todas as contas que serão utilizadas pela contabilidade dentro de determinada entidade. A montagem de um Plano de Contas deve ser personalizada, por empresa, já que os usuários das informações podem necessitar de detalhamentos específicos, que um modelo de Plano de Contas geral pode não compreender. 

Sendo o Plano de contas o conjunto de contas que norteia os trabalhos contábeis de uma empresa. Ele é a estrutura sobre a qual se constrói o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício, dois dos instrumentos mais importantes da contabilidade.

Tipos de Plano de Contas

Existem dois tipos de planos de contas o Gerencial e o Contábil e são divididos em quatro grandes grupos: Despesas, Receitas, Ativos e Passivos.

O plano de contas gerencial ou categorias das contas é definido e criado para que as despesas e receitas da empresa sejam lançadas em sistema, ou até mesmo em planilhas, de forma organizada, possibilitando uma leitura clara e fácil entendimento dos resultados do negócio. Essa ferramenta também é fundamental para o controle financeiro da empresa.

O plano de contas contábil tem o mesmo raciocínio, porém além das despesas e receitas possui outras divisões como ativo e passivo o que pode dificultar a leitura, ou entendimento pelo empresário sem conhecimento contábil.

Estrutura do Plano de Contas

O Plano de Contas é estruturado levando em consideração algumas características funcionais, tais como:

  • Tamanho da empresa - Se é micro, pequena, média ou grande empresa.

  • Ramo de Atividade - De acordo com os objetivos de cada empresa, ou seja, as características do seu ramo de atividade. 

  • Sistema Contábil - A contabilidade pode ser executada em modalidades diferentes conforme a disponibilidade de recursos materiais e humanos da empresa, pode ser manual, mecanizada ou eletrônica. 

  • Interesse dos usuários - As pessoas que utilizam a contabilidade sejam elas gerentes ou administradores interessados em definir que tipo de informação contábil desejam.

  • Estrutura do Plano de Contas - As contas patrimoniais que compõem o balanço devem ser dispostas em grupos e grau decrescentes de liquidez para facilitar a interpretação e análise da situação financeira. 

As Contas de Resultado, ou seja, receitas e despesas não aparecem no Balanço uma vez que no processo contábil de encerramento de exercício os seus saldos devem ser zerados para apuração do resultado: lucro ou prejuízo. 

Conclusão

A importância desse elenco de grupos e contas pode ser vista por fatores em cadeia: toda empresa precisa — e é obrigada pela Lei 6.404/76 (chamada “Lei das S/A”) — a ter escrituração contábil. E não é possível fazê-la sem um plano de contas. Ou seja, ele é indispensável para qualquer negócio, mas também é de extrema importância por outros motivos relativos à gestão da empresa.

Referência

 

Plano de contas é o agrupamento ordenado de todas as contas que serão utilizadas pela contabilidade dentro de determinada entidade. A montagem de um Plano de Contas deve ser personalizada, por empresa, já que os usuários das informações podem necessitar de detalhamentos específicos, que um modelo de Plano de Contas geral pode não compreender. 

Sendo o Plano de contas o conjunto de contas que norteia os trabalhos contábeis de uma empresa. Ele é a estrutura sobre a qual se constrói o Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício, dois dos instrumentos mais importantes da contabilidade.

Tipos de Plano de Contas

Existem dois tipos de planos de contas o Gerencial e o Contábil e são divididos em quatro grandes grupos: Despesas, Receitas, Ativos e Passivos.

O plano de contas gerencial ou categorias das contas é definido e criado para que as despesas e receitas da empresa sejam lançadas em sistema, ou até mesmo em planilhas, de forma organizada, possibilitando uma leitura clara e fácil entendimento dos resultados do negócio. Essa ferramenta também é fundamental para o controle financeiro da empresa.

O plano de contas contábil tem o mesmo raciocínio, porém além das despesas e receitas possui outras divisões como ativo e passivo o que pode dificultar a leitura, ou entendimento pelo empresário sem conhecimento contábil.

Estrutura do Plano de Contas

O Plano de Contas é estruturado levando em consideração algumas características funcionais, tais como:

  • Tamanho da empresa - Se é micro, pequena, média ou grande empresa.

  • Ramo de Atividade - De acordo com os objetivos de cada empresa, ou seja, as características do seu ramo de atividade. 

  • Sistema Contábil - A contabilidade pode ser executada em modalidades diferentes conforme a disponibilidade de recursos materiais e humanos da empresa, pode ser manual, mecanizada ou eletrônica. 

  • Interesse dos usuários - As pessoas que utilizam a contabilidade sejam elas gerentes ou administradores interessados em definir que tipo de informação contábil desejam.

  • Estrutura do Plano de Contas - As contas patrimoniais que compõem o balanço devem ser dispostas em grupos e grau decrescentes de liquidez para facilitar a interpretação e análise da situação financeira. 

As Contas de Resultado, ou seja, receitas e despesas não aparecem no Balanço uma vez que no processo contábil de encerramento de exercício os seus saldos devem ser zerados para apuração do resultado: lucro ou prejuízo. 

Conclusão

A importância desse elenco de grupos e contas pode ser vista por fatores em cadeia: toda empresa precisa — e é obrigada pela Lei 6.404/76 (chamada “Lei das S/A”) — a ter escrituração contábil. E não é possível fazê-la sem um plano de contas. Ou seja, ele é indispensável para qualquer negócio, mas também é de extrema importância por outros motivos relativos à gestão da empresa.

Referência